O TRABALHO PSICOPEDAGÓGICO NO CRUI-CENTRO DE REFERÊNCIA DE INCLUSÃO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA ?UNIDA PARA INCLUIR?

O Psicopedagogo Clínico e Institucional, Especialista em Psicopedagogia Educacional Marcelo Bednarski, relata que desenvolve trabalhos de intervenção psicopedagógica neste ano de 2021, principalmente com os TEA (Transtorno do Espectro Autista), fazendo uso de atividades lúdicas e jogos desenvolvidos no próprio CRUI, tendo como objetivos desenvolver as habilidades de interação social, comunicação, aprendizagem, incentivando o desenvolvimento cognitivo. Sabemos que os TEA têm uma grande capacidade de se desenvolverem seja no social como no cognitivo, mas para isso é necessário que sejam diagnosticados o mais precocemente possível e assim comecem com os estímulos. Muitas vezes quando falamos em autismo nos referimos ao trabalho multidisciplinar de psicólogos, fonoaudiólogo, terapeutas ocupacionais e psicopedagogos estes último que desenvolvem trabalhos importantes nesse conjunto a intervenção psicopedagógica também se faz importante, uma vez que as habilidades escolares ficam em defasagem, atrapalhando o desenvolvimento da criança no ambiente escolar.Os psicopedagogos trabalham com um enfoque específico e suas intervenções em casos de autismo são focadas nos aspectos que contribuem com a aprendizagem. Não existe um método, uma receita pronta que seja adequada para todas as crianças com autismo, cada criança é única e conhecer as habilidades e dificuldades de cada uma delas é o que vai permitir traçar a melhor e eficaz forma de intervenção.O Psicopedagogo Marcelo ressalta ainda que sempre procura desenvolver um trabalho conjunto com os demais profissionais do CRUI, através de um trabalho multidisciplinar, não esquecendo a grande importância que a família, professores da classe regular e professores de AEE têm nesse trabalho. Através desse trabalho conjunto é possível potencializar as capacidades de interação social, de aprendizagem entre outras tantas mais, aumentado o repertorio dos TEA.A Psicopedagoga Clínica e Institucional, Especialista em Neuroaprendizagem Josi Luciana Figueira Schneider, relata que os atendimentos na pandemia foram direcionados das mais diferentes dificuldades de aprendizagem e interação, com intervenções psicopedagógicas, após terem sido esgotadas as possibilidades de aprendizagem em sala regular, sendo encaminhadas ao CRUI para intervenção, bem como se necessário a outros profissionais da equipe.A psicopedagoga Josi ainda fala que as intervenções psicopedagógicas acontecem por procedimentos clínicos realizados pelos psicopedagogos, com o intuito de melhorar o processo de ensino aprendizagem e promover a autonomia dos educandos. A intervenção acontece após diagnóstico em sua dificuldade de aprendizagem, bem como se reformula e adequa a prática docente a necessidade do aluno, assim como se utiliza de ludicidade e acolhimento em seu desenvolvimento psicomotor e cognitivo, promovendo interação social. Por fim estes profissionais avaliam, orientam pais, escola e equipe escolar.