23 de Maio de 2018

Prefeitura Municipal de Dom Feliciano

Compartilhe esta página
com seus amigos

Notícias

Você está: Notícias > Detalhe

Diligências trabalham de forma preventiva contra morcego hematófago

10 de Maio de 2018
Moradores de municípios da região estão em alerta com o morcego hematófago que ataca os animais durante a noite. Em Dom Feliciano, não foi confirmado, através investigação epidemiológica, nenhum caso, conforme adiantou o veterinário da Inspetoria Estadual, Wilson Hoffemeister. Entretanto, já foram identificados focos em Encruzilhada do Sul, divisa com Santana da Boa Vista, Chuvisca e Camaquã. Duas equipes estão no Município, desde o dia sete, percorrendo os 25 refúgios de morcegos já catalogados em anos anteriores.
No caso de suspeita ou ocorrência de casos de raiva, o proprietário deve comunicar a Inspetoria Veterinária, Rua Benjamin Constant, 368, telefone 51 3677-1400, que deverá tomar as medidas cabíveis. Conforme a Secretaria da Agricultura, Pecuária e Agronegócio, a notificação da enfermidade é obrigatória. Há sanções legais para quem não informar a suspeita em herbívoros, ou a presença de animais com mordidas do morcego. Ao não fazer isso, o produtor também coloca o rebanho da região em risco. Assim que os animais começam a morrer, o raio de alastramento já é de 12 a 13 quilômetros.
“Os sintomas mais característicos da raiva nos bovinos e equídeos são transtornos locomotores, caracterizados por dificuldade de movimentação nos membros posteriores, evoluindo para paralisia progressiva (animal deita e não consegue se levantar, ou, quando consegue se movimentar, arrasta os membros posteriores), seguindo-se por decúbito permanente (animal constantemente deitado)”, explica o veterinário. A vacina deve ser aplicada a segunda dose no intervalo de 21 dias.
Vacinação e controle do morcego
A doença é altamente letal e seu curso é rápido, o que leva os animais a morte em até 10 dias após o aparecimento dos sintomas. Por isso, a importância de medidas preventivas, que incluem a vacinação de animais susceptíveis e controle populacional do morcego. O veterinário Revir Milane, que também acompanha as diligências em Dom Feliciano, alerta que espantar os animais não leva a solução alguma. “É necessário que avisem a Inspetoria para que façamos e captura e providências necessárias e corretas”, alerta.